Maneiras inteligentes de usar a tecnologia nas salas de aula

Muitas escolas e professores têm um relacionamento desconfortável com a tecnologia: eles condenam seu poder de distrair os jovens, mas vêem isso como um mal necessário a ser tolerado, ou pelo menos estritamente limitado.

Alunos do ensino fundamental II utilizando a Realidade Virtual para resoluções de exercícios

A tecnologia pode realmente revolucionar a educação - mas somente se os educadores fizerem escolhas sensatas sobre o que é usado e como é usado.

É muito tarde para tentar manter a tecnologia fora das salas de aula - ou a vida das crianças. "Podemos pensar que estamos protegendo os estudantes quando os mantemos em uma bolha sem tecnologia para o dia letivo, mas eles acabam saindo, se graduando, conseguindo emprego". “Se bloquearmos a tecnologia deles, poderemos estar realmente inibindo-os. Precisamos colocá-los em ambientes dinâmicos e responsivos na escola para que possam ter sucesso mais tarde.


Dica # 1 de tecnologia: algo chato no papel ainda é chato em um tablet ou laptop.


"Usar a tecnologia simplesmente para usá-la é um desperdício". “Se a tecnologia não transformar sua sala de aula, seu ensino ou o aprendizado de seus alunos, ignore-a.” Uma regra simples: se um projeto pode ser feito usando papel ou lápis, mas você está fazendo em um computador ou dispositivo, não está transformando sua sala de aula.


Dica 2: Como a tecnologia ensina é tão importante quanto o que é ensinado.


Escolha programas e apps que incentivem as crianças a criarem. Um exemplo: Cargo-bot, um aplicativo que exige que os alunos escrevam programas que controlam um robô movendo caixas. O objetivo é compor o código que faz o robô carregar as caixas de maneira mais eficiente possível, forçando as crianças a desenvolverem uma série de habilidades importantes, como pensamento critico, criatividade, solução de problemas e lógica.


Dica técnica nº 3: Deixe os alunos às vezes serem os professores.


O pensamento de dominar muitos aplicativos, dispositivos e programas, além de seus planos de aula regulares, provavelmente fará com que os professores se sintam sobrecarregados. “Você não precisa dominar todas as ferramentas antes de entregá-las.”

Dar uma nova ferramenta para um aluno e pedir que ele aprenda como usá-lo primeiro. Depois de descobrir, eles podem ensinar a todos os outros - incluindo o professor.


Dica 4: em vez de proibir telefones ou YouTube, os educadores devem encontrar maneiras inteligentes de usá-los.


“Muitas escolas bloqueiam o YouTube, mas ouvi dizer que é o mecanismo de busca número um entre os alunos do 5º ao 12º ano”. “Muito aprendizado é perdido quando bloqueamos recursos de nossos alunos. Além disso, os alunos são bastante experientes e podem contornar até mesmo filtros complexos. ”

Criar boletins informativos em vídeo que são adicionados ao Youtube podem ser uma alternativa surpreendente para sala de aula. “Há muito poder em fazer os alunos relatarem o que estão fazendo, em vez de escrever em um boletim informativo.” As crianças planejam os boletins - onde avaliam o que estão aprendendo e discutem os acontecimentos da sala de aula - bem como filmá-los, editá-los e adicionar efeitos.


Dica técnica nº 5: os adultos devem servir como defensores da cidadania digital.


Um ambiente seguro e amigável como uma sala de aula é um ótimo lugar para as crianças aprenderem a se comportar de maneira responsável na Internet.

Os professores devem perguntar a seus alunos para o Google e depois pensar sobre o que o seu registro digital diz sobre eles, “93% dos empregadores usam as mídias sociais de alguma forma para recrutar ou contratar funcionários”. "Isso significa que, se nossos alunos tiverem uma pegada digital negativa, eles poderão ter apenas 7% de chance de conseguir um emprego". Para praticar o que pregam, os adultos também devem pesquisar no Google e refletir sobre o que encontram.

Dica técnica nº 6: Dê às crianças algum espaço para cultivar seus próprios interesses.



A antiga politica de 20% do Google , que permite que os funcionários usem essa quantia de sua semana de trabalho em projetos de paixão, permite que seus alunos busquem suas próprias horas “geniais”. Seus alunos seguem seus interesses por uma hora por semana, e alguns - mas não todos - de seus projetos são focados em tecnologia. Um aluno construiu um robô de lata depois de aprender como fazê-lo, assistindo a tutoriais do YouTube, e outro filmou e editou seu próprio filme. “Isso realmente dá às crianças a propriedade de seu aprendizado”.





28 visualizações

© 2015 por Equipe FabNerdes. 

  • White YouTube Icon
  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon
  • White Flickr Icon
  • White Twitter Icon