PESQUISADORES DA UNIVERSIDADE DE BIRMINGHAM DESENVOLVEM O MÉTODO DE BIOIMPRESSÃO SLAM 3D

Pesquisadores da Universidade de Birmingham desenvolveram um novo método de impressão 3D para materiais macios que poderia permitir a fabricação de implantes médicos artificiais.

Conhecida como Fabricação Aditiva de Camada Suspensa (SLAM), essa técnica usa um hidrogel à base de polímero contendo partículas para um gel de autocura. Líquidos ou géis podem ser injetados neste meio para criar formas 3D.

“O hidrogel que projetamos possui algumas propriedades realmente intrigantes que nos permitem imprimir materiais macios com detalhes realmente finos”, explica o professor Liam Grover, líder do estudo publicado em Advanced Functional Materials.

"Ele tem um enorme potencial para produzir biomateriais de substituição, como válvulas cardíacas ou vasos sanguíneos, ou para produzir tampões biocompatíveis, que podem ser usados ​​para tratar danos nos ossos e cartilagens".

Bioimpressão SLAM 3D